Servidores que aderiram à paralisação alegam que não houve pagamento do 13º salário.

Prefeitura afirma que a maioria das unidades funcionou normalmente.

A volta às aulas nas escolas de Cabo Frio, na Região dos Lagos Apesar de avisos comunicando a volta às aulas nesta segunda-feira (10) em Cabo Frio, na Região dos Lagos do Rio, nem todos os alunos da rede municipal conseguiram estudar.

Segundo o Sepe, sindicato dos servidores da Educação, a Prefeitura não pagou o 13º salário e, por isso, a categoria decidiu manter a paralisação. De acordo com a Secretaria Municipal de Educação (Seme), a maioria das escolas funcionou normalmente e, conforme informa a Secretaria de Fazenda, o pagamento do 13º salário da Educação está sendo efetuado.

Na última semana, a Seme anunciou que faria a contratação emergencial de profissionais com o objetivo, segundo a publicação em uma rede social, de "garantir que as unidades recebam os estudantes a partir desta segunda-feira". Mas diretores de escolas relataram à reportagem da Inter TV que os professores foram às unidades nesta segunda para a alocação de turmas para que, na terça (11), sejam iniciadas as aula. Na Escola Municipal Maria Dária Saldanha apenas cinco das 26 turmas tiveram aula nesta segunda. O município explicou que a maioria das escolas da rede funcionou tanto para o início das aulas de 2020, quanto para a reposição referente ao ano letivo de 2019.

Disse ainda que "oito unidades já concluíram a reposição na semana passada e outras 37 devem dar continuidade às atividades nesta semana".

"Só será possível saber o quantitativo exato das unidades em atividade após a conclusão do levantamento de funcionamento realizado nas 90 unidades", explicou o município em nota.

 A Seme afirma ainda que o número de alunos com matrícula ativa da rede é de cerca de 31 mil, porém, esse quantitativo terá acréscimo após a efetivação de matrículas referentes à segunda fase de inscrições, que ainda está em andamento.