O deputado Osmar Terra, que será substituído por Onyx Lorenzoni no Ministério da Cidadania Roque de Sá/Agência Senado O ministro Osmar Terra estava em um barco entre os rios Negro e Solimões quando o presidente Jair Bolsonaro anunciou nesta quinta-feira (13) por meio de uma rede social a substituição dele por Onyx Lorenzoni no Ministério da Cidadania. Terra voltava de uma visita ao programa Criança Feliz, em Careiro da Várzea, no Amazonas, agora sua última agenda a frente da pasta, quando foi avisado da publicação em uma rede social do presidente.

Na véspera, à noite, o ministro esteve com Bolsonaro no Palácio do Planalto Após receber a notícia, Osmar afirmou, por meio de nota, que deseja sorte a Lorenzoni, e estará “onde for mais importante para o governo”. “Eu estarei onde for mais importante para o governo e para o presidente Jair Bolsonaro.

Sou deputado no sexto mandato, com muito orgulho.

Agradeço ter ajudado o Brasil e quero continuar ajudando onde estiver.

Desejo sorte ao companheiro Onyx Lorenzoni”, disse ele. Na mensagem que publicou, Bolsonaro escreveu que o trabalho de Terra "terá continuidade na Câmara dos Deputados". Segundo informado ao blog, Osmar Terra está recebendo apoio de caminhoneiros e de ativistas da luta contra as drogas.

O Ministério da Cidadania, que ficará sob o comando de Onyx Lorenzoni, é responsável pela área social do governo, gerindo programas como Bolsa Família, Criança Feliz e Progredir.

Além disso, é responsável pela Secretaria Especial de Esporte, que substituiu o extinto Ministério do Esporte.